BOXART LINDONA HEIN KINGDOM HEARTS HD 2.5 REMIX

SÓ SEI QUE QUERO JOGAR KH2 DE NOVO ASAP, MAS 2 DE DEZEMBRO TÁ LONGE!

A arte exclusiva da box de KH HD 2.5 ReMIX reflete-se em novos e lindos traços de Nomura. Aqua, Terra, Ventus de Birth by Sleep, Xemnas, Xehanort, Sora, Riku, Roxas, Donald, Pateta, e, claro, Mickey, esse povo todo está compartilhando um espaço com várias Keyblades. Essa mistura serve pra lembrar que vem aí no novo pacote Kingdom Hearts II, KH BbS e as cenas em HD de Re:Coded; ah, não esqueçamos, ambos KH2 e BbS estão atualizados ao público ocidental não só graficamente falando, mas seu conteúdo é em parte inédito por serem em ambos os casos baseados nas antes exclusivas edições japonesas Final Mix. Seu investimento valerá a pena.

A edição limitada também foi revelada e dentre outras mais pomposas, como a de KH3D, está bem modesta. O único acompanhamento desta edição é um pin de 4.27 centímetros com o logo do título e trazendo Mickey e Sora no topo. Se tivesse a oportunidade pegaria pelo fato dela estar custando U$39.99, ou seja nenhum dólar a mais da versão padrão. Quem já garantiu uma cópia em pré-venda em lojas participantes (como a Amazon) poderá atualizar seu pedido à edição limitada gratuitamente, enquanto durar no estoque!

Falando na remasterização, a Square Enix tempos atrás divulgou um vídeo comparativo entre as versões originais para PS2, PSP e DS e como elas estão hoje no PlayStation 3. Confere aí: 

Por fim, mas não menos importante, a SE já confirmou sua presença — via Square Enix Presents — na San Diego Comic-Con 2014 onde está com um stand com a demo de 2.5 ReMIX e irá levar também ninguém menos que o criador da série, e responsável por tantos outros clássicos dentro da empresa, Tetsuya Nomura! O cara estará distribuindo autógrafos para aqueles que comprarem figures específicas da linha da empresa, a Play Arts Kai (você não pensou que seria tão fácil né?). 

[Fontes: Twitter, All Games Beta]

NÃO SE ENGANE COM OS ROSTINHOS BONITOS DE OMEGA QUINTET

AS VERSES MAIDENS DO “IDOL X RPG” CAUSAM MAIS DE 50K DE DANO, OUCH!

Idols japoneses são as gatinhas (e gatinhos) que por sua beleza, inocência e juventude, acabam caindo no gosto do público japonês. Eu pensava que essas pessoas só se encaminhavam ao lado musical, mas há atores e atrizes também considerados Idols por lá. Bem, a Compile Heart revelou que seu RPG sob a antes misteriosa marca Galapagos RPG é Omega Quintet, exclusivo para PS4 e sob o tema das citadas Idols.

O termo Galapagos foi utilizado para representar um jogo voltado ao público nipônico. É claro que isso não quer dizer que as heroínas que compõem as Verse Maidens, e que salvam o dia através de suas performances e armas que causam mais de 50 mil de dano, não possam fazer sucesso pelas bandas do Tio Sam — Hatsune Miku anda se dando bem por aqui. Mas não é só o lado Idol que denuncia o jeito nipônico de ser em Omega Quintet; olhe as roupas coloridas, lembra os super sentais; olhe o trailer abaixo e veja se consegue vislumbrar uma calcinha aqui, ou decote ali:

O fan service mais uma vez marca presença. Não é do meu feitio esse tipo de coisa, mas o jogo não é feito só disso felizmente. Tenho que me acostumar, afinal Ar No Surge também tem disso e parece ótimo! 

As Verse Maidens são formadas pelas protagonistas Otoha, Kyouka, Kanadeko, Nene e Aria. As meninas precisam salvar a humanidade que se vê ameaçada pelos nocivos Beeps, os vilões da história. Tudo gira em torno da música. Quem não gostaria de acabar com uma guerra cantando e dançando?! Falando em performance, a Compile usou de captura de movimento pra você se apaixonar ainda mais pelas meninas. 

Com direito a edição especial essa aventura inusitada, como bem a Compile Heart já é conhecida por outros trabalhos, chegará em 18 de Setembro no Japão

[Fontes: All Games Beta, Siliconera]

MAMMA MIA, OLHA AÍ MEU NOVO PARCEIRO
GOSTA DE PULAR? THE JUMP MAN BLOG É PRA VOCÊ
Lembram do SideQuest? Aquele blog sensacional que eu fazia parte e que me motivou a criar o Critical Hit? Pois é, um de seus autores e meu amigo, @CitanMK, decidiu que é hora de finalmente expressar sua afeição por jogos de plataforma (2D ou não) e com isso surgiu o The Jump Man Blog!
É muito bom acima de tudo ver o retorno do Citan na escrita. A análise dele do já clássico Shovel Knight demonstra como será o futuro do blog: promissor. 
Como é um gênero que muito aprecio, e que estou novamente confirmando minha paixão através de Rayman Legends, já é o novo recinto da internet que visito frequentemente. Aliás, todos que são fãs de videogame e passaram horas em frente aos televisores de tubo com Super Nintendo, Mega Drive, Master System jogando o oceano de cartuchos de plataforma disponíveis se sentiram em casa, isso ao passo que descobrem o que há de novidade do gênero e para o gênero pelas suas reinvenções (vide o ótimo Outland).
Fica aqui meu desejo por sucesso a nova empreitada da equipe do @TheJumpManBlog, o novo parceiro do Critical Hit.

MAMMA MIA, OLHA AÍ MEU NOVO PARCEIRO

GOSTA DE PULAR? THE JUMP MAN BLOG É PRA VOCÊ

Lembram do SideQuest? Aquele blog sensacional que eu fazia parte e que me motivou a criar o Critical Hit? Pois é, um de seus autores e meu amigo, @CitanMK, decidiu que é hora de finalmente expressar sua afeição por jogos de plataforma (2D ou não) e com isso surgiu o The Jump Man Blog!

É muito bom acima de tudo ver o retorno do Citan na escrita. A análise dele do já clássico Shovel Knight demonstra como será o futuro do blog: promissor. 

Como é um gênero que muito aprecio, e que estou novamente confirmando minha paixão através de Rayman Legends, já é o novo recinto da internet que visito frequentemente. Aliás, todos que são fãs de videogame e passaram horas em frente aos televisores de tubo com Super Nintendo, Mega Drive, Master System jogando o oceano de cartuchos de plataforma disponíveis se sentiram em casa, isso ao passo que descobrem o que há de novidade do gênero e para o gênero pelas suas reinvenções (vide o ótimo Outland).

Fica aqui meu desejo por sucesso a nova empreitada da equipe do @TheJumpManBlog, o novo parceiro do Critical Hit.

OLHE PARA O CÉU SEMANA QUE VEM COM TRAILS IN THE SKY
VERSÃO TURBINADA PARA WINDOWS VIA STEAM
A Nihon Falcom se consolidou graças aos PCs japoneses e só depois, com intermédio de outras desenvolvedoras inclusive, que veio alcançar os consoles de mesa. The Legend of Heroes: Trails in the Sky continuou esse legado quando em 2004 foi lançado para Windows e só então em 2006 viu um lançamento para outro sistema, neste caso o PSP. A versão do portátil era a única localizada até então. Até então. 
Mesmo diante do já longínquo release norte-americano da versão do PSP em 2011 a XSEED Games, publisher apaixonante que adquiriu os direitos para lançá-lo por aqui, deixou claro que irá terminar de localizar a trilogia. Até o lançamento de Second Chapter, continuação programada pra algum momento deste ano — e com direito inclusive de uma versão digital para PSP além dos PCs! —, os fãs de RPGs que não conheceram o original terão a partir da próxima semana, em 29 de Julho, uma nova oportunidade pelo lançamento no Steam da versão original de 2004.
Trails in the Sky na sua atual versão para PCs além de gráficos melhores também tem carregamentos mais rápidos, modo new game+, vozes de batalha em inglês, ajuste de dificuldade após uma primeira finalização e uma mecânica que pode tornar as lutas mais amenas caso perca-se muito consecutivamente. Ele quer abraçar veteranos ou não com o gênero, simples.
Esse é também segundo muitos, incluindo a fonte desta notícia, os meus vizinhos do RPGFan, um excelente título e de história cativante. Já li por aí que terminar o primeiro é algo como assistir A Sociedade do Anel, logo, fica aquele gosto de quero mais, contudo já sabendo que o segundo capítulo está a caminho me animo ainda mais a explorá-lo.
Aproveitando a página do Steam ao título é válido destacar que Trails, sem surpresas, é um RPG que necessita de configurações bem modestas se tivermos como comparação os requisitos de jogos atuais. Não há mesmo motivo para deixá-lo passar.

OLHE PARA O CÉU SEMANA QUE VEM COM TRAILS IN THE SKY

VERSÃO TURBINADA PARA WINDOWS VIA STEAM

A Nihon Falcom se consolidou graças aos PCs japoneses e só depois, com intermédio de outras desenvolvedoras inclusive, que veio alcançar os consoles de mesa. The Legend of Heroes: Trails in the Sky continuou esse legado quando em 2004 foi lançado para Windows e só então em 2006 viu um lançamento para outro sistema, neste caso o PSP. A versão do portátil era a única localizada até então. Até então

Mesmo diante do já longínquo release norte-americano da versão do PSP em 2011 a XSEED Games, publisher apaixonante que adquiriu os direitos para lançá-lo por aqui, deixou claro que irá terminar de localizar a trilogia. Até o lançamento de Second Chapter, continuação programada pra algum momento deste ano — e com direito inclusive de uma versão digital para PSP além dos PCs! —, os fãs de RPGs que não conheceram o original terão a partir da próxima semana, em 29 de Julho, uma nova oportunidade pelo lançamento no Steam da versão original de 2004.

Trails in the Sky na sua atual versão para PCs além de gráficos melhores também tem carregamentos mais rápidos, modo new game+, vozes de batalha em inglês, ajuste de dificuldade após uma primeira finalização e uma mecânica que pode tornar as lutas mais amenas caso perca-se muito consecutivamente. Ele quer abraçar veteranos ou não com o gênero, simples.

Esse é também segundo muitos, incluindo a fonte desta notícia, os meus vizinhos do RPGFan, um excelente título e de história cativante. Já li por aí que terminar o primeiro é algo como assistir A Sociedade do Anel, logo, fica aquele gosto de quero mais, contudo já sabendo que o segundo capítulo está a caminho me animo ainda mais a explorá-lo.

Aproveitando a página do Steam ao título é válido destacar que Trails, sem surpresas, é um RPG que necessita de configurações bem modestas se tivermos como comparação os requisitos de jogos atuais. Não há mesmo motivo para deixá-lo passar.